21/09/10

O estigma do minete

Nunca gostei de minetes. Sim, digo-o com o à-vontade a que me exijo. No início pensei que fosse um daqueles caprichos do amor verdadeiro e da mulher especial. Sempre fiz minetes e sempre pesquisei sobre o tema, mas nunca me senti realmente confortável a fazê-lo.

O minete dá muito jeito para controlar timmings, atrasar a corrida, adiantar o adversário, mas sempre achei que a falta de higiene adjacente não compensasse o acto. Hoje em dia confesso não me fazer tanta confusão, o objectivo é dar e receber, certo?

Claro que não faz parte do meu "alinhamento" fazer um minete, mas às vezes já faço uma surpresa aos fãs!

Como eu devem pensar milhares de homens. O meu objectivo neste espaço é contar as minhas experiências e ajudar-vos (aos que padecem do mesmo) a ultrapassar o estigma do minete. Eu consegui, vocês também vão conseguir.

4 comentários:

T disse...

Muito bem, bravo!

sacana disse...

Antes de mais, aplaudo a coragem de um post tão aberto e livre de tabus.

Em relação ao que foi dito, acredito que não haja tanta vontade de fazer minetes a uma mulher de que não se goste ou com quem não se tenha uma relação muito próxima, pois, na minha opinião, o acto de minetar necessita de uma certa intimidade. Daí também o maior receio com os cheiros e os sabores menos agradáveis...

Ruca disse...

Ah grande Jorge! Vais ficar um pró.

pedro b disse...

bravo!