04/02/14

O SUSPIRO

Aqueles goles repentinos de ar, como quem confunde um suspiro rápido, mas não expelindo o ar, mas sim aspirando-o. Aquele gole que parece igual a um pequeno susto, mas nada de grave.
Consegues imaginar isso?
Esse foi o som que fizeste assim que eu encostei apenas a minha língua no teu ventre, pois se bem recordo, após esse primeiro contacto, a minha lingua entrou numa viagem explorativa, entre lábios e clítoris, mergulhando por vezes dentro de ti, como também rodopiando, ensalivando o teu anús.
Lambusando todos os cantos, curvas, concavidades e lombas de ti, em busca de um osgasmo explodido na minha boca, juntamente com um daqueles gritos e a respiração acelerada, na espera eminente de um sentimento por tantos falado mas que todos esse escritos não são suficientes para descrever plenamente um orgasmo.
Só de lembrar, começo a ganhar agua na boca... mas espero que tu ao leres também ganhes água... mas não na boca!


Lembra que depois desse primeiro orgasmo, sentiste-me mover, entrar e sair dentro de ti, nunca deixando de fazer pausas para provar o teu sabor e o meu misturados, e dando-te a provar desse mesmo licor, pelos meus lábios, molhados em ti!
Dá-me outra vez de quatro...

Vulcano

5 comentários:

Anónimo disse...

Jesus amado! nossa!

Ly Sussurro disse...

ui
um sussurro

Adriana Vendaval disse...

Hummm

Anónimo disse...

Vocês me deixaram louca! Nunca me senti tao excitada!

Anónimo disse...

Vulcano só histórias! Se emagrecesses uns kilinhos e tivesses mais uns cm,talvez fosses mesmo algo de delirar!

beijoca